O luto pelo término de um relacionamento4 min de leitura

O luto pelo término de um relacionamento4 min de leitura

Se você já nos acompanha há algum tempo, deve saber que a questão do luto não se refere somente à morte de uma pessoa amada. O processo do luto acontece com o rompimento de um vínculo de amor e afeto importante, ou seja, ele também está ligado ao término de um relacionamento amoroso (você provavelmente já deve ter passado por isso, não é?).

MUITAS VEZES PASSAMOS POR ESTE PROCESSO DE DOR SEM NOMEÁ-LO CORRETAMENTE: É LUTO!

E luto precisa ser valido. A maior dor do enlutado é não sua dor validada.
Seja um casamento de décadas, um namoro de alguns anos, meses ou uma história significativa sem rótulos clássicos ou quantidade de tempo legitimado o luto vai se apresentar, pois se há sentimento envolvido, há dores da perda, independente de quem tenha partido o rompimento (ou o motivo). Em uma relação amorosa, cria-se uma proximidade, uma rotina, laços e planos para o futuro.


E quando há esse rompimento, há o desabamento de um mundo presumido.
O conceito de mundo presumido é bastante particular. É a construção de um universo de acordo com nossas experiências, valores e sonhos… é o entendimento de como somos. Nele estão as pessoas que amamos, em um lugar seguro e protegido: mas quando alguém se vai, parte desse mundo presumido desaba.

O PROCESSO DE LUTO NADA MAIS É DO QUE A RECONSTRUÇÃO DO MUNDO PRESUMIDO.

Nas últimas semanas, a mídia foi bombardeada pela notícia do término do casamento de doze anos da cantora colombiana Shakira e do jogador de futebol, Gerard Piqué.


Não muito depois, Shakira lançou uma música repleta de indiretas referentes ao acontecimento que logo estourou no Spotify.


Enquanto alguns a acusam de “marqueteira”, é possível fazer uma análise de que essa foi uma das maneiras que ela encontrou de lidar com o fim do relacionamento.
Trouxe esse caso para ilustrar o fato de que cada pessoa busca diferentes ferramentas de enfrentamento- e que todos nós já passamos ou iremos passar por rompimentos afetivos em nossas vidas (nem os famosos estão imunes, né?).
Sendo assim, é importante permitir-se nomear o processo do luto e sentir a dor para que seja possível se reconstruir.
Nesse contexto, conecte-se a uma rede de apoio fortalecida, reencontre-se com você mesmo (a) e respeite o tempo.

Ignore comentários que tentem minimizar a sua dor, como “ele/ela não te merecia”, “logo você encontra outra pessoa”… eles de nada servem. Sabemos que não é bem assim, não é?
Só você sabe o que sente e o tamanho deste sentimento. O luto vem repleto de sentimentos contraditórios: tristeza, alivio, raiva, alegria, negação, novos sonhos e possibilidades, aceitação e por aí vai.
Muita gente foge desse enfrentamento, substituindo o vazio da dor com amores passageiros, trabalho em excesso, álcool em demasia.. Isso não vai dar certo!

O IDEAL É BUSCAR UM EQUILÍBRIO SAUDÁVEL PARA LIDAR COM ESSA PERDA, AFINAL, ESSE TIPO DE ATITUDE NÃO RESOLVE OS PROBLEMAS A LONGO PRAZO.

As perdas fazem parte da nossa vida e estarão sempre presentes ao longo da nossa jornada. Somos seres sociais e devemos nos abrir para novas experiências, relações e possibilidades, sabendo viver o fim de um ciclo para o início de outro.

Compartilhe

Compartilhe

Nos acompanhe também em outros canais:

Nos acompanhe também em outros canais:

VOCÊ TAMBÉM PODE GOSTAR_