Como familiares podem ajudar pacientes em Cuidados Paliativos?3 min de leitura

Como familiares podem ajudar pacientes em Cuidados Paliativos?3 min de leitura

De acordo com a OMS, Cuidados Paliativos consistem na assistência promovida por uma equipe multidisciplinar diante ao diagnóstico de uma doença grave, promovendo cuidados (não apenas físicos) que aliviam o sofrimento. Neste contexto, além do suporte ao paciente, está também o apoio aos familiares que estão diretamente ligados com a situação.

A doença afeta os familiares de forma diferente. Em um misto de sentimentos, muitas pessoas se veem, pela primeira vez, diante do desafio de desempenhar o papel de cuidador de um ente querido. Nesses momentos, a equipe de profissionais deve atuar também como um orientador em relação para que familiares compreendam e entendam as decisões do paciente.

A família se torna uma ponte entre o paciente e a equipe de Cuidados Paliativos, sendo responsável por mediar a tomada de decisão. Além disso, o seu papel é fundamental para o bem-estar e conforto do paciente das seguintes maneiras:

  • Apoiar e respeitar a opinião do paciente na escolha do tratamento para a doença.
  • Escutar as queixas do ente querido para além da saúde física, entendendo quais são os seus medos e desejos.
  • Explicar aos enfermeiros cuidadores as preferências da pessoa para que ela esteja mais confortável. Um familiar, por conhecer o paciente há muito tempo, entende qual a maneira que ele prefere tomar banho, por exemplo, fazendo com que aquele momento se torne mais agradável para ele, que já está fragilizado.
  • Facilitar a comunicação entre a equipe e o paciente.
  • Ajudar o paciente a expressar todas as suas dificuldades, em relação à doença, tratamento e cuidados.
  • Fazer com que a pessoa se sinta acolhida por todos no núcleo familiar.

Outro aspecto importante que deve ser levado em consideração é sobre CUIDAR DE QUEM CUIDA. A saúde física e emocional dos familiares e cuidadores também precisa de orientação e atenção. É um momento de fragilidade e de novos desafios, podendo impactar suas vidas de diferentes formas.

DESSA MANEIRA, É PRECISO LEGITIMAR OS SENTIMENTOS DESSAS PESSOAS, FORTALECER SUAS REDES DE APOIO E, SE NECESSÁRIO, BUSCAR AJUDA PROFISSIONAL PARA CONSEGUIR ENFRENTAR OS DESAFIOS DO DIAGNÓSTICO DA PESSOA AMADA DA FORMA MAIS SAUDÁVEL POSSÍVEL.

Cuidados Paliativos envolve exercer a compaixão, colocar-se no lugar e entender que a situação envolve dificuldades físicas, mas também uma mudança total na vida. Muitas vezes, a perda de autonomia faz com que o paciente se sinta refém da situação e sem conseguir expressar as suas emoções de forma apropriada. O núcleo familiar será o centro de suporte emocional ao ente querido e, para isso, deve entender a importância que ele seja ouvido e respeitado.

Optar por Cuidados Paliativos é uma decisão conjunta do paciente, família e equipe médica. É direito do paciente e familiares solicitarem aos médicos o início desses cuidados como forma de aliviar os sintomas e dores.

Achou esse texto interessante? Então assista ao vídeo completo que deu origem a esse artigo AQUI.

Se você tem interesse em se aprofundar em Cuidados Paliativos, BAIXE GRATUITAMENTE a nossa cartilha “Cuidados Paliativos: a revolucionária forma de cuidar”. Nela estão uma reunião de conteúdos com informações ricas e importantes sobre o tema.

Baixe AQUI.

Compartilhe

Compartilhe

Nos acompanhe também em outros canais:

Nos acompanhe também em outros canais:

VOCÊ TAMBÉM PODE GOSTAR_